domingo, 30 de novembro de 2014

Relembrando Belíssima Tocata da Banda da Brigada Militar em Homenagem ao Núcleo CC Belém Diploma de Honra ao Mérito...


Mais Belíssima relembrança neste domingo a tarde sobre uma das Tocatas Com Participação Especial da BANDA da Brigada Militar do Estado Rio Grande do Sul - Uma Homenagem ao Núcleo CC Belém Diploma de Honra ao Mérito Câmara de Vereadores de PoA-RS/BR - Gravação Realizada por Charles Netto em Porto Alegre, RS/Brasil....
 Com o Chefe do Estado Maior da Brigada Militar do Estado Rio Grande do Sul "Coronel FREITAS" e o Coronel Batista o Presidente do Ncc Belém e também com o Tenente Medina do Ncc Belém, visto estarem juntamente com integrantes daquela Associação Comunitária...
 **Com Participação Especial da Banda da Brigada Militar com execução do "Hino Nacional"(Minha Instituição onde servi por 30 anos na BM) Abrilhantando o Evento... Gravação e edição de Charles. O 1º Sargento PM Marco Rodrigues Por ser "Sempre Voluntario" nos eventos assim "Foi Elogiado" no Evento que participou com sua Locução e Apresentação das Autoridades Civis e Militares presentes em que era Homenageado o Núcleo Comunitário e Cultural Belém Novo com o "Diploma de Honra ao Mérito Câmara de Vereadores de Porto Alegre, 22 de agosto de 2014: Solenidade que foi realizada na Câmara de Vereadores de Porto Alegre no Plenário Otávio Rocha. E sendo Citado que que o referido "Ncc Belém" também esta completando 10 anos e em outras oportunidades havia recebido os seguintes destaques Nacional e Internacional como: "Prêmio Direitos Humanos da UNESCO em 2006, Medalha "Cidade de Porto Alegre" em 2012 e que é considerado Um Telecentro Padrão do Município de Porto Alegre"...
 Gravação de minha Autoria e direitos Autorais meus...
Link fonte... https://www.youtube.com/watch?v=Jfq54iys0P4

terça-feira, 25 de novembro de 2014

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Paulo Francis e a Petrobras: O Brasil (e os Brasileiros honestos deste país) devem desculpas pós morte ao Paulo Francis quando em época passada já havia denunciado que tinha Corrupção na Petrobras e ninguém deu bola e agora esta aí a Operação deflagrada pela Polícia Federal em sua 7ª etapa chamada "LAVA JATO" e tenho dito...

Foto de Charles Netto
O tempo passou mas a verdade das denúncias de Paulo Francis ainda são as mesmas e cada vez mais graves...

Repito: O Brasil (e os Brasileiros honestos deste país) devem desculpas pós morte ao Paulo Francis quando em época passada já havia denunciado que tinha Corrupção  na Petrobras e ninguém deu bola e agora esta aí a Operação  deflagrada pela Polícia Federal em sua 7ª etapa chamada "LAVA JATO" e tenho dito...

sábado, 22 de novembro de 2014

DEPOIS DE TANTO NADAREM NA CORRUPÇÃO PODEMOS VER QUE OS "PEIXES GRANDES COMEÇAM A MORRER NA PRAIA"... POIS: Agora não é mais os tais: Zé, Chico ou ladrões de "Galinha" e nem Peixinho Miudinho e sim coisas de "Peixe GRANDE" QUE COMEÇARAM SEREM PRESOS NO BRASIL ...

FOTO DE CHARLES NETTO
Sim coitado do povo brasileiro então, quando lhe falta mais Saúde, Educação e Segurança, pois eu comentei a pouco que:  Eu tenho esse cuidado de ser atento em minhas observações tendo em vista que sempre compartilho, curto ou comento aqueles assuntos que é publico e notório e que todos já sabem, mas que não raras vezes alguns poucos políticos parecem que vivem em uma "ilha da Fantasia" e que só eles fazem questão de afirmar que não: Sabiam, não ouviram e que nunca falaram nada e penso que por isso mesmo não devemos nos calar quando o assunto é "CORRUPÇÃO. CORRUPTOS OU MESMO CORRUPTORES"  que roubam os cofres públicos para enriquecerem com o tal "vil Metal"... E contra fatos sabemos todos que nunca haverá argumentos e tenho dito!!!!!!!!! E para mim a "Maior Injustiça" é essa: De que alguém pode cometer o que cometeram em se tratando da: "CORRUPÇÃO, CORRUPTOS OU MESMO CORRUPTORES"  que roubam os cofres públicos para enriquecerem com o tal "vil Metal" e o trabalhador Brasileiro sempre contribuindo com o pagamento de impostos independentemente se tem que levantar muito cedo para ir ao trabalho na luta e busca incansável do "Pão de cada Dia... E depois assistirem  nas mídias os casos muito triste de "Mensaleiros, Pasadena/USA e que fizeram com a Petrobras e ninguém sabia de nada que estavam tirando bilhões de Reais da Nossa Riqueza Brasileira...

Licença Creative Commons
DEPOIS DE TANTO NADAREM NA CORRUPÇÃO PODEMOS VER QUE OS "PEIXES GRANDES COMEÇAM A MORRER NA PRAIA"... POIS: Agora não é mais os tais: Zé, Chico ou ladrões de "Galinha" e nem Peixinho Miudinho e sim coisas de "Peixe GRANDE" QUE COMEÇARAM SEREM PRESOS NO BRASIL ... de Charles Netto está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://umoficialcomespadapropria.blogspot.com.br/2014/11/depois-de-tanto-nadarem-na-corrupcao.html.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://umoficialcomespadapropria.blogspot.com.br/.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

O Presidente da Turma de 64, Coronel Bento Mathuzalém de Vasconcelos: No "Dia do INATIVO" (Reserva Altiva) onde junto ao evento com formatura e comemorações do cinquentenário (50 anos) da Turma de Aspirantes Oficias de 1964/ Turma 64... No Mês de Aniversário dos177 anos da BM... (Com Passagem do Estandarte para a Turma de Aspirantes a Oficiais da Brigada Militar do Ano "1965" e também para após o Estandarte da Turma de 64 ficar no Museu da Brigada Militar/RS/Brasil)... Com Palavras do Ilmo sr Comandante-geral da BM, Coronel Silanus e ainda o Ilmo sr Cmt da Legião Altiva, Coronel Álvaro Raul Cruz Ferreira ... O Evento aconteceu no Auditório da Academia de Polícia Militar (APM).

Eu com o Ilmo sr: Presidente da Turma de 64, Coronel Bento Mathuzalém de Vasconcelos...

No "Dia do INATIVO" (Reserva Altiva) onde junto ao evento com formatura e comemorações do cinquentenário (50 anos) da Turma de Aspirantes Oficias de 1964/ Turma 64...
No Mês de Aniversário dos177 anos da BM... (Com Passagem do Estandarte para a Turma de Aspirantes a Oficiais da Brigada Militar do Ano "1965" e também para após o Estandarte da Turma de 64 ficar no Museu da Brigada Militar/RS/Brasil)...
O Evento aconteceu no Auditório da Academia de Polícia Militar (APM), com a presença do comandante-geral da BM, também estiveram presentes na solenidade o subcomandante-geral, coronel Alfeu Freitas Moreira, o chefe do Estado-Maior, coronel Leonel da Rocha Andrade, o comandante da APM, tenente-coronel Antônio Osmar da Silva, além de outras Autoridades Militares, Instrutores e familiares e amigos da Turma de 64, um dos Ex Comandantes Gerais da Gloriosa Brigada Militar (1987-1990)  Coronel Jerônimo Carlos Santos Braga na solenidade e ainda o Cmt da Legião Altiva, Coronel Álvaro Raul Cruz Ferreira, onde todos que lá estavam cantaram em uma só voz o Canto da Canção da Brigada Militar e do Hino Riograndense...
Presente entre outros Coronéis o Presidente da Turma de 64, Coronel Bento Mathuzalém de Vasconcelos... (CONSTA NO VÍDEO QUE GRAVEI NO AUDITÓRIA DA ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR BEM ASSIM)... E conforme podemos observar no vídeo...
 Eu participei desse evento onde tive a hora de fazer parte da Plateia que assistiu a tudo o que disse  o Ilmo sr Cmt da Legião Altiva, Coronel Álvaro Raul Cruz Ferreira sua locução com suas Brilhantes palavras sobre a Brigada Militar, seus componentes como um todo de Praças e Oficiais da Ativa e da Reserva Remunerada relatando seus feitos Culturais e seus feitos para prestar um grande serviço para a Sociedade Gaúcha e fazendo também menção do Lançamento do Livro que se dará nestes 177 anos de Aniversário da Brigada Militar/RS...
E depois entrega de DIPLOMAS aos Componentes da Reserva Altiva que Desfilaram no dia 20 de Setembro de 2014 na Semana Farroupilha em que Desfilam os Policiais Militares da Ativa e também os da "Reserva Altiva"...
O Comandante-geral da BM, Coronel Silanus Fez a citação em seu Grande Discurso para todos os Presentes na Solenidade que havia sido Filho de Praça que lutara em uma das Batalhas que A Brigada Militar Lutou em outro Estado....
E ainda  fez questão de mencionar quanto a importância da qualificar os Policiais Militares, por meio do Curso de Bacharel em Direito (Ciências Jurídicas e Sociais) como já sendo feito, “mas é preciso também ter Amor pela Nossa Instituição Brigada Militar, que tem uma relevante História que foi forjada e construída pelo Valoroso Empenho e Vibração e Honra dos Bons Policiais que nos antecederam”...
"Também mencionou com destaque o fato dos Valorosos Homens  que tem correndo em suas veias o Sangue Brigadiano" como costumeiramente diziam os Brigadianos da antiga e disse que tem aqueles que esquecem os Bens diários que a Brigada Militar faz com seus serviços prestativos de Segurança e Manutenção da Ordem Pública para a Sociedade Gaúcha como um todo e ao Brasil...   (Concluindo assim o seu Pensamento)... 
Entre outros assuntos conforme podemos observar no vídeo...
E Citou "O Valor Brigadiano" dos tempos passados até os dias atuais e falando sobre os feitos dos Ex Comandantes da Brigada Militar e fatos Históricos relevantes da Polícia Militar do Rio Grande do Sul/Brasil...
 OBSERVO QUE É A PRIMEIRA VEZ QUE OCORRE UM ATO TÃO MEMORÁVEL ASSIM NO MEU ENTENDER VISTO QUE A MAIS DE 35 ANOS TENHO ACOMPANHADO DE PERTO CERIMÔNIAS, MAS ESSA TEMVE UM MAIOR BRILHANTISMO VISTO REUNIR GRANDES LÍDERES EM UMA MESMA SOLENIDADE COM GRAU ELEVADO DE SABER E AMOR PARA COM A NOSSA  GLORIOSA BRIGADA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL/BRASIL... 

E TENHO DITTO!!!!




quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Pensamento do Grande Cmt Geral BM Cel Silanus Serenito Mello no Dia do Inativo na Data de Aniversário de 177 anos da Nossa Gloriosa Brigada Militar...




No  Dia do INATIVO (Reserva Altiva) onde junto ao evento com formatura e comemorações do cinquentenário (50 anos) da Turma de Aspirantes Oficiais de 1964/ Turma 64...
O Comandante-geral da BM, Coronel Silanus Fez a citação em seu Grande Discurso para todos os Presentes na Solenidade que havia sido Filho de Praça que lutara em uma das Batalhas que A Brigada Militar Lutou em outro Estado....
E ainda  fez questão de mencionar quanto a importância da qualificar os Policiais Militares, por meio do Curso de Bacharel em Direito (Ciências Jurídicas e Sociais) como já sendo feito, “mas é preciso também ter Amor pela Nossa Instituição Brigada Militar, que tem uma relevante História que foi forjada e construída pelo Valoroso Empenho e Vibração e Honra dos Bons Policiais que nos antecederam”...
"Também mencionou com destaque o fato dos Valorosos Homens  que tem correndo em suas veias o Sangue Brigadiano" como costumeiramente diziam os Brigadianos da antiga e disse que tem aqueles que esquecem os Bens diários que a Brigada Militar faz com seus serviços prestativos de "Segurança e Manutenção da Ordem Pública" para a Sociedade Gaúcha como um todo e ao Brasil...   (Concluindo assim o seu Pensamento)... 
Entre outros assuntos conforme podemos observar no vídeo...
No Mês de Aniversário dos177 anos da BM...
O Evento aconteceu no Auditório da Academia de Polícia Militar (APM), com a presença do Comandante-geral da BM, também estiveram presentes na solenidade o subcomandante-geral, coronel Alfeu Freitas Moreira, o chefe do Estado-Maior, Coronel Leonel da Rocha Andrade, o Comandante da APM, Tenente-coronel Antônio Osmar da Silva, além de outras Autoridades Militares, Instrutores e familiares e amigos da Turma de 64, um dos Ex Comandantes Gerais da Gloriosa Brigada Militar (1987-1990)  Coronel Jerônimo Carlos Santos Braga na Solenidade e ainda o Cmt da Legião Altiva, Coronel Álvaro Raul Cruz Ferreira, onde todos que lá estavam cantaram em uma só voz o Canto da Canção da Brigada Militar e do Hino Riograndense...
Presente entre outros Coronéis o Presidente da Turma de 64, Coronel Bento Mathuzalém de Vasconcelos...


Do Folheto da Reserva Altiva...












 




Instagram

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

POSICIONAMENTO DO PROF. HERMES NERY SOBRE O DECRETO 8243/2014, NO SENADO...


Decreto 8243/2014: Golpe contra a democracia: Escrito por Hermes Rodrigues Nery | 27 Agosto 2014 Artigos - Governo do PT
 Segue a íntegra do meu pronunciamento na audiência pública sobre o Decreto 8243/2014, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, no Senado Federal, no dia 05 de agosto de 2014.
 Fonte...
http://www.midiasemmascara.org/…/15406-decreto-82432014-gol
Exmo. Senador Anibal Diniz, que preside estes trabalhos, Ministro Gilberto Carvalho, Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Prof. Leonardo Avritzer, professor de Ciência Política da UFMG, Prof. Dalmo Dallari, professor da USP, Prof. José Matias Pereira, professor de Administração Pública da UnB, senadores e demais aqui presentes. Cumprimento a mesa e pelo vejo serei a única voz dissonante, o que é salutar para o debate democrático, que nos leva à reflexão, que é justamente o objetivo desta audiência pública.
 Gostaria de começar lembrando aqui aos senhores a perplexidade de Aristide Lobo, quando descreve o que aconteceu no golpe de 15 de novembro de 1889, dizendo que o povo assistiu tudo aquilo bestializado, isto é, alheio ao que aconteceu, sem ter tido nenhuma participação efetiva naquela quartelada; mas sofreu depois as consequências do novo regime, com a própria crise econômica decorrente do encilhamento, e os excessos do florianismo, por exemplo, "com desprezo pelas regras jurídicas"(1). Naquela que foi "a primeira grande mudança de regime político após a Independência" (2), quiseram os golpistas justificar o que fizeram dizendo que "se tratava da implantação de um sistema de governo que se propunha, exatamente, trazer o povo para o proscênio da atividade política" (3). E os fatos mostraram depois, de que se tratou mesmo de uma falácia. "Havia algo mais na política do que simplesmente um povo bestializado"(4), mas forças oligárquicas se voltaram contra o Brasil, gerando as aberrações da República Velha. E que perduram aqui hoje, com novas formas (mais sutis, mais danosas) na Nova República; na mesma práxis do Executivo asfixiar o Legislativo, no pior exercício do mandonismo, no afã de um grupo de poder que sufoca as liberdades individuais, e as demais expressões [este que se torna uma facção, favorecida por um presidencialismo que tende a um absolutismo, e que recorre à retórica da democracia, como discurso apenas para justificar que esse determinado grupo imponha a sua ideologia totalitária, usando categorias sociais artificiais, [ou mesmo estratos sociais vulneráveis como curral eleitoral, com base no populismo e no clientelismo] para legitimar seus interesses de poder, que nada são democráticos. Isso já é conhecido na história, desde a Antiguidade.
"E quando, em lugar do povo - dizia Sócrates, na ágora ateniense - é, como numa oligarquia, uma reunião de algumas pessoas que decreta o que se deva fazer, como se chama isso?"(5) E responde: Violência e ilegalidade, mesmo revestida de artifícios e sofismas, da retórica, estratégia essa bem conhecida. "- Que são então Péricles, a violência e a ilegalidade? Não são atos pelos quais o mais forte, em vez de convencer o mais fraco, obriga-o a fazer o que lhe convém?"(6) Onde um determinado grupo político quer se impor e asfixiar todos os demais. Com o Estado Novo, prevaleceu isso também: o poder do caudilho, como o de hoje, com Lula e seu grupo de poder, declaradamente socialista.

 Afonso Arinos de Mello Franco, que foi senador desta casa, constituinte, que ajudou a fazer a atual Carta Magna, destaca "as deturpações sofridas pela expressão democracia"(7), lembrando Lênin, quando dizia que que "a República dos Sovietes, dos representantes dos operários, soldados e camponeses é o tipo mais elevado de instituição democrática" (8). E observa que "a franqueza de Lênin é cruel e completa, mas também são patentes os seus erros [os erros da Rússia espalhados pelo mundo], fundados em ilusões da crença ideológica marxista" (9), que o PT, de modo especial, carrega com obsessão e obstinação, em por em prática tais erros já condenados pela História, de triste memória, nos países aonde tais erros foram adotados. E ensina Afonso Arinos que "a democracia direta (como querem agora o governo do PT com o Decreto 8243/20140 de fato nunca foi praticada e dela hoje restam somente alguns resquícios históricos" (10). Isso porque a democracia, sr. Presidente, "conta com indiscutíveis bases morais" (11), e aonde faltam essas bases, não há como existir democracia, mas a corrosão da democracia, que leva à demagogia, à anarquia, à dissolução das instituições [desde a primeira e a principal de todas elas, a família], à barbárie e à toda espécie de violência.
O decreto 8243/2014 mostrou uma face sombria do projeto de poder do PT, e isso não é de hoje, mas desde seu nascedouro, quando ainda se gestava, nos anos 70, no CEBRAP (com recursos da Fundação Ford), já prevendo isso: usar as OnGs para o aparelhamento de setores estratégicos da sociedade, com metodologia gramsciana, para, aos poucos, irem ocupando postos (nas Universidades, na imprensa, nos partidos, até chegar hoje, quando praticamente quase todos os partidos são títeres de forças internacionais, articuladas para impor na América Latina a agenda socialista, a agenda controlista, uma agenda globalista.
O que se quer com o Decreto 8243/2014 não é o aprimoramento da democracia, alargando as suas possibilidades de expressão, como vem dizendo o Sr. Ministro Gilberto Carvalho, em seus pronunciamentos. Mas o Decreto visa inviabilizá-la, com "um conjunto de barbaridades jurídicas" (12), que tornam os movimentos sociais - como diz Erick Vizollli - "controlados por partidos de esquerda" (13), em especial pelo próprio PT. Estrangulamento da democracia no Brasil, que quer significar este Decreto, e não a sua promoção, como propagandeia na mídia os falazes do PT. E elucida Vizolli: "Sociedade Civil para o Decreto significa movimentos sociais"(14). E acrescenta: "Não se enganem: a intenção do Decreto 8243/2014 é justamente abrir espaço para a participação política de tais movimentos e 'coletivos'. O 'cidadão' em nada é beneficiado" (15).
O Decreto altera profundamente a ordem constitucional e o equilíbrio entre os três poderes, pois cria conselhos em toda a parte, com poder deliberativo. Tal alteração não poderia ser proposta por decreto [já aí está a sua inconstitucionalidade]. O Decreto instaura a democracia direta, que jamais foi pretendida pela Constituição de 1988. O Decreto esvazia e desmoraliza o Congresso. E isso esta Casa não pode permitir. Esta Casa tem o dever constitucional de defender o Legislativo, robustecê-lo, pois assim estará protegendo a sociedade brasileira da gula de poder, dos que querem se favorecer dos ardis do referido Decreto e dar assim esse golpe contra a democracia brasileira.
E acrescenta Vizolli: "A institucionalização de conselhos pelo Decreto 8243/2014 leva à ascensão política instantânea de 'revolucionários profissionais', pessoas que dedicam suas vidas inteiras à atividade partidária, em uma tática já antecipada por Lênin em seu panfleto "Que Fazer", de 1902 (capítulo 4c). Vamos supor por um momento que o Decreto seja um texto bem intencionado, que de fato pretenda 'inserir a sociedade civil' dentro de decisões políticas (como, aliás, afirma o diretor de Participação Social da Presidência da República em artigo d'O Globo). Ora, quem exatamente teria tempo para participar de 'conselhos', 'comissões', 'conferências' e 'audiências'? Obviamente, não o cidadão comum, que gasta seu dia trabalhando, levando seus filhos para a escola e saindo com os amigos. Tempo é um fator escasso, e a maioria das pessoas simplesmente não possui horas de sobra para participar ativamente de decisões políticas - é exatamente por isso que representantes são eleitos para essas situações. Quem são as exceções? Não é difícil saber. Basta passar em qualquer sindicato ou diretório acadêmico: ele estará cheio de 'revolucionários profissionais', cuja atividade política extraoficial acabou de ser legitimada por decreto presencial" (16). Por isso, me referi aqui no início à perplexidade de Aristides Lobo, quando disse que o povo assistiu tudo bestializado, alheio a tudo, como hoje, quando o governo do PT, com o Decreto 8243/2014 quer alijar das instâncias decisórias o povo, para garantir apaniguados no partido do governo, o acesso às instâncias decisórias; apaniguados estes que formarão os "coletivos", a sociedade civil. O Decreto, como afirmou o jornalista Reinaldo Azevedo, cria assim "duas categorias de brasileiros: os que tem direito de participar da vida pública e os que não tem. Alguém dirá: Ora, basta integrar um movimento social, mas isso implicará , necessariamente, ter de se vincular a um partido político" (17).
"Exatamente por estes motivos, Sr. Presidente, tal forma de organização, confere a extremistas de esquerda possibilidades de participação política muito mais amplas do que eles teriam em uma lógica democrática 'verdadeira', na qual ela seria reduzida a praticamente zero". Mas com a institucionalização da participação popular, que o Decreto quer garantir, estará o povo alijado do poder decisório, e Estado e Nação ficarão reféns dos tais "coletivos". Como bem lembra o Dr. Ives Gandra da Silva Martins, que me indicou para aqui representá-lo, nesta audiência pública. "As comissões e os conselhos, segundo o texto oficial, deverão ser formados pela sociedade civil. Entende-se sociedade civil [está lá no texto do Decreto], "por cidadãos, os coletivos, os movimentos sociais institucionalizados ou não institucionalizados, suas redes e organizações" (18), como os tentáculos do polvo de Lautréamont. "Dizem que qualquer pessoa do povo pode participar, mas sabemos que o povo não é articulado. Articulados são eles, que entrarão nessas comissões" (19). E mais: "Quando eles falam de participação da sociedade, todos nós sabemos que essas comissões serão de grupos articulados, com os movimentos dos Sem Terra e dos Sem Teto e outros, que tem mentalidade favorável à Cuba, à Venezuela" (20). Por isso, o povo continuará alijado e, mais uma vez, bestializado, assistindo a tudo isso [esse golpe que é o Decreto 8243/2014], sem entender de nada do que está acontecendo.
O que ocorre com o Decreto? A corrosão da democracia, que favorece o populismo, o clientelismo, a subserviência e a acomodação, a tibieza de iniciativas pessoas, a dependência do Estado para tudo, este paternalismo estatal que se aproveita da vulnerabilidade social, para manipular pessoas e instituições, tornando desprezíveis as liberdades públicas e privadas. Como afirma o Prof. Olavo de Carvalho, em seu livro "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota", "a possibilidade mesma de iniciativas sociais independentes foi praticamente eliminada, na medida em que a regulamentação das OnGs as transformou em extensões da administração estatal (exatamente o que quer o Decreto 8243/2014) e em instrumentos de manipulação de massas" (21). Os coletivos são isso: "construtores revolucionários de uma sociedade socialista" (22). E o que querem? Não o bem comum, conforme o Direito Natural; não a estabilidade [estamos aí já vendo os sinais apreensivos da crise econômica], não a coesão social, a garantia e a promoção das liberdades individuais, da valorização cultural, que civiliza, mas a banalização da vida, em todos os sentidos, o triunfo do homem-massa, o barateamento e nivelamento por baixo, de tudo e de todos, porque "a ação do poder revolucionário, é precisamente , a ruptura do direito" (23) [e especialistas já demonstraram a inconstitucionalidade do Decreto] "e, portanto, da legalidade, que é o domínio da lei" (24).
E é por isso que o golpe que se quer com o Decreto 8243/2014 lembra a quartelada de 89. Golpe este altamente sofisticado, porque travestido de roupagem sedutora: em nome da democracia, querem instaurar a ditadura petista, querer se implantar o socialismo e o comunismo neste País, com apoio internacional. E esta Casa de Leis precisa se posicionar para sustar o Decreto, para salvaguardar a democracia, para salvaguardar a liberdade neste País, para evitar a sovietização em curso, com as conhecidas conseqüências desse processo.
O debate da questão que motivou esta audiência pública, relevantíssimo para a reflexão sobre o que está pondo em xeque a democracia neste País, nos leva a dizer alto e em bom tom: não permita esta Casa de Leis este atentado á democracia brasileira. É hora dos homens e mulheres deste País, que tem amor ao Brasil, dos que sabem do sentido e do valor do patriotismo, para se posicionar em defesa da democracia, da liberdade, do respeito às instituições, também desta Casa Legislativa, sempre em vista a dignidade da pessoa, de cada pessoa humana. Muito obrigado.
 
 
Notas:
 1. Afonso Arinos de Mello Franco, Problemas Político Brasileiros, p. 150, Livraria José Olympio Editora, 1975, Rio de Janeiro.
 2. José Mutilo de Carvalho, Os Bestializados - O Rio de Janeiro e a República que não foi .p. 11, Companhia das Letras, 2204, São Paulo.
 3. Ibidem.
 4. Ib. p. 13.
 5. Sócrates, Os Pensadores, p. 93, Editora Nova Cultural Ltda, 1999, São Paulo.
 6. Ibidem.
 7. Afonso Arinos de Mello Franco, Problemas Político Brasileiros, p. 25, Livraria José Olympio Editora, 1975, Rio de Janeiro.
 8. Ibidem.
 9. Ib. p. 17.
 10. Ib. p. 26.
 11. Ib. p. 26.
 12. Editorial do jornal O Estado de São Paulo, Mudança de Regime por Decreto, 30.05.2014 (
http://opiniao.estadao.com.br/…/geral,mudanca-de-regime-por…)
13. Erick Vizolli, "Afinal, o que é esse tal decreto 8.243?" (
http://erickvizolli.jusbrasil.com.br/…/afinal-o-que-e-esse-…)
14. Ibidem.
 15. Ibidem.
 16. Ibidem.
 17. Reinaldo de Azevedo, "Dilma decidiu extinguir a democracia por decreto. É golpe". Veja on line, 29.05.2014 (
http://veja.abril.com.br/…/dilma-decidiu-extinguir-a-democ…/)
18. Erick Vizolli, "Afinal, o que é esse tal decreto 8.243?" (
http://erickvizolli.jusbrasil.com.br/…/afinal-o-que-e-esse-…)
19. Victória Broto, "Ives Gandra alerta: decreto 8.243 é ditatorial", Diário do Comércio, 03.06.2014 (
http://www.dcomercio.com.br/…/ives-gandra-alerta-decreto-82…).
20. Ibidem.
 21. Olavo de Carvalho, "Tudo o que você precisa saber para não ser um idiota" (Org. Felipe Moura Brasil), p. 173, Editora Record, Rio de Janeiro.
 22. Mark Mazower, "Continente Sombrio - A Europa no século XX", p. 271, Companhia das Letras, 2001, São Paulo.
 23. Afonso Arinos de Mello Franco, Problemas Político Brasileiros, p. 31, Livraria José Olympio Editora, 1975, Rio de Janeiro.
 24. Ibidem.

domingo, 2 de novembro de 2014

Uma Reflexão sobre o "Comunista Nu" e tentativas de instalar o Comunismo nas Americas desde muitos anos passados conforme a tal: Agenda: Grinding America Down (Legendado)



O presente trabalho possui a finalidade de «conhecer o Brasil para melhor servi-lo».
Para isso, propõe estimular o debate, reunindo e unindo todos em torno do bem-comum, colocado acima de interesses pessoais e de qualquer espécie de grupo, para a criação de um Projeto de Nação fundamentado no processo histórico-cultural brasileiro.
A metodologia utilizada é a de identificar ideias, atitudes, comportamentos e ações que estão em harmonia com o marxismo-gramscismo para, através da «via pacífica», transformar o Brasil em uma República Socialista.

 ANTONIO GRAMSCI (1891-1937)

 Intelectual italiano e um dos fundadores do Partido Comunista Italiano (PCI) em 1921, percebeu que a implantação do comunismo nos países do Ocidente não deveria seguir o modelo russo (LENIN) do uso da violência para conquistar ou tomar o Estado, mas, sim, ao contrário, primeiro conquistar o Estado e depois, então, a aplicação da violência para finalizar o processo.
Nessa concepção, destaca-se o valor atribuído ao seu entendimento de Sociedade Civil como sendo o espaço social onde deve ocorrer a luta pela hegemonia, para que a classe subalterna passe a ser a Classe Dirigente.
Um grupo social da classe dirigente, assumindo o controle da Sociedade Política (Estado), permite que o partido da Classe Dirigente seja posicionado acima do Estado.
A manobra é simples, lenta e gradual. Utiliza-se dos instrumentos legais e políticos da democracia para, de forma pacífica e sorrateira, minar e enfraquecer as principais trincheiras democráticas: Executivo, Legislativo, Judiciário, Forças Armadas, Religião e a Família.
Usando a propaganda subliminar, o populismo e a demagogia, as consciências são entorpecidas e é criada a sociedade massificada para a luta pela hegemonia.
O envolvimento estratégico também é simples e eficaz, conduzindo o processo em três fases:
- na primeira, organiza o Partido das Classes Subalternas e luta pela ampliação das franquias democráticas para facilitar a ação política, explorando as deficiências e vulnerabilidades do governo;
- na segunda, luta pela hegemonia das classes subalternas, criando as condições para a tomada do poder;
- na terceira fase, toma o poder, impondo novos valores e princípios através de uma nova ordem.
O «socialismo pacífico» é a etapa intermediária para o «socialismo marxista», o marxismo-leninismo, o comunismo...
Preso em 1926, escreveu na prisão «Cadernos do Cárcere» contendo o seu pensamento sobre a tomada do poder de forma pacífica. Foi libertado pouco antes de morrer em 1937.
O gramscismo contagiou países da Europa e, hoje, está transbordando na América do Sul.

 A PENETRAÇÃO GRAMSCISTA NO BRASIL
FINALIDADE
Criar as melhores condições para transformar o Brasil em uma República Socialista sob a inspiração de Antônio Gramsci.
OBJETIVOS
1. Obter a hegemonia na sociedade civil.
2. Obter a hegemonia na sociedade política (Estado).
3. Estabelecer o domínio do intelectual coletivo (Partido Classe).
4. Silenciar os intelectuais independentes.
MÉTODO
Realizar a transformação intelectual e moral da sociedade pelo abandono de suas tradições, usos e costumes, mudando valores culturais de forma progressiva e contínua, introduzindo novos conceitos que, absorvidos pelas pessoas, criam o «senso comum modificado», gerando uma consciência homogênea construída com sutileza e sem aparente conteúdo ideológico, buscando a identificação com os anseios e necessidades não atendidas pelo poder público.
Assim é estabelecido o desejo de mudança em direção a um mundo novo, com a sociedade controlada através dos mecanismos de uma «democracia popular», onde os pensadores livres, temendo o rótulo de retrógrados ou alienados, se submetem a uma prisão sem grades, calando a voz da divergência existente dentro de si e se deixam, assim, vencer pelo «senso comum modificado». Este prossegue intoxicando a sociedade, sob a égide do Estado, usado para reduzir e suprimir a capacidade de reação individual e coletiva.
Nesse momento, está construída a base para a «tomada do poder» e consequente implantação do Estado Socialista.
AÇÕES QUE TÊM ENFRAQUECIDO AS TRINCHEIRAS DA DEMOCRACIA NO BRASIL

 I. Nos PARTIDOS POLÍTICOS
1. Estimular o número elevado de partidos para enfraquecer a oposição e facilitar a tática de « aliança», favorecendo o «partido classe».
2. Manter a regionalização dos partidos; o controle por caciques ou oligarquias regionais afeta a unidade nacional, favorecendo o enfraquecimento dos partidos políticos de oposição e favorecendo o «partido classe», que possui «unidade de comando».
3. Admitir a pluralidade de esquerda para ser bem explorada pelo «partido classe» por tempo determinado.
4. Esvaziar as poucas lideranças da oposição através de patrulhamento e ataque (dossiê) direto ou indireto (parentes).
5. Criar fatos novos para o esquecimento das mazelas de militantes do «partido classe» e aliados.
6. Afastar ou mudar de cargo o militante com erro focado pela mídia de oposição, para a sua proteção e do «partido classe».
7. Usar a «mídia da situação» para silenciar as mazelas dos militantes do «partido classe».
8. Infiltrar militantes nos outros partidos para obter o seu controle e esvaziar os líderes de oposição, os neutros e os que não são adeptos do «partido classe».

II. No EXECUTIVO
1. Criar aparelhos governamentais de coerção.
2. Distribuir cargos em órgãos e empresas públicas para militantes do partido-classe e seus aliados, em todos os níveis da administração (federal, estadual e municipal), (aparelhar o Estado).
3. Criar uma estrutura policial que possa ser transformada em Guarda Nacional ou Guarda Pessoal ou em Polícia Política (Polícia Federal, Força Nacional) para emprego imediato, quando chegar o momento oportuno.
4. Ampliar o «curral eleitoral» usando o assistencialismo como fim e não como meio, mantendo o benefício por tempo indeterminado.
5. Manter o «curral eleitoral» através de um sistema de ensino, controlando o baixo nível de aprendizagem e desenvolvimento da inteligência.
6. Silenciar a imprensa através de emprego da verba pública destinada à propaganda, mantendo a população sem informação correta.
7. Neutralizar políticos de oposição e aliados através de distribuição de dinheiro, cargo público ou qualquer outro tipo de benefício pessoal ou familiar.
8. Criar ou fortalecer um organismo sulamericano para diminuir a importância da OEA (EUA).
9. Participar de um bloco sulamericano de repúblicas socialistas democráticas.
10. Facilitar a penetração cultural e a projeção dos intelectuais orgânicos.
11. Denegrir heróis nacionais.
12. Enaltecer militantes da ideologia marxista.
13. Desmerecer fatos e vultos marcantes da História Nacional.
14. Impedir a tomada da Consciência Nacional.
15. Entorpecer a Vontade Nacional.
16. Eliminar valores do processo histórico-cultural nacional.
17. Mudar usos e costumes.
18. Enfraquecer o moral nacional.
19. Mudar traços da identidade nacional.
20. Mudar valores e princípios ético-morais.
21. Enfraquecer a família.
22. Enfraquecer a coesão-nacional.
23. Lançar a discórdia no seio da população.
24. Desviar o foco dos debates em torno de questões relevantes em áreas estratégicas (saúde, educação, segurança, defesa, etc), isentando o Governo de responsabilidade pelas deficiências e vulnerabilidades.
25. Estabelecer um poder paralelo ao do Estado (Conselho de Política Externa, Comissão de Direitos Humanos, etc).
26. Alimentar as ONGs com o dinheiro público e estimular outras para atuarem na sociedade civil, apoiando direta ou indiretamente a luta pela sua hegemonia.

 III. No LEGISLATIVO
1. Eleger militantes do Partido-Classe.
2. Unir temporariamente os partidos de mesma ideologia.
3. Fazer alianças com partidos de ideologia oposta.
4. Desmoralizar o Legislativo, mantendo privilégios, barganhas e a falta de espírito público.
5. Criar leis para dar o respaldo às mudanças de usos, costumes e valores da nacionalidade brasileira.
6. Obter o controle do Legislativo para conquistar o domínio da sociedade política (Estado), através do Partido-Classe.
7. Enfraquecer o Legislativo como fiscal do Executivo.
8. Submeter o Estado ao controle do Partido-Classe.

 IV. No JUDICIÁRIO
1. Retardar ou impedir a modernização da estrutura do judiciário.
2. Retardar ou impedir o aperfeiçoamento do funcionamento do judiciário.
3. Estimular o corporativismo extremado na magistratura.
4. Manter o magistrado afastado do povo e das suas necessidades.
5. Difundir na sociedade civil as ideias de parcialidade, ineficiência e improbidade do judiciário.
6. Desacreditar o judiciário perante as classes subalternas, explorando a lentidão funcional e a corrupção e privilégios dos magistrados como funcionários públicos.
7. Aparelhar o judiciário com material humano de interesse.

 V. Nas ESCOLAS
1. Usar as universidades como refúgio ideológico.
2. Buscar a hegemonia nos meios intelectuais.
3. Construir nova massa de manobra, usando as universidades, a mídia e as editoras.
4. Criar a geração revolucionária nas escolas do ensino médio.
5. Usar professores da nova massa de manobra no ensino básico (fundamental e médio).
6. Fortalecer o controle do sistema de ensino que não ensina a pensar, através do MEC.
7. Apagar a memória do povo reescrevendo a história do Brasil para fatos e vultos nacionais relevantes.
8. Mudar valores e princípios ético-morais (professores homossexuais no ensino médio e fundamental, alterando a estrutura familiar).
9. Enfraquecer a vontade nacional.
10. Transformar a consciência nacional em consciência do partido político.
11. Controlar escolas e universidades particulares através de sindicatos e com uma reforma universitária.

 VI. Nas FORÇAS ARMADAS
1. Enfraquecer a união dos militares, afastando os militares da ativa dos militares inativos.
2. Enfraquecer o «espírito de corpo», separando os oficiais generais da tropa.
3. Introduzir, a curto prazo, o uso de drogas entre os militares.
4. Disseminar, a médio prazo, o homossexualismo entre os militares.
5. Preparar, a longo prazo, as gerações de chefes militares que servirão ao governo, e não à pátria, modificando a grade curricular das escolas de formação.
6. Enfraquecer a credibilidade e a confiança da população nas forças armadas.
7. Desestimular profissionalmente os militares que servem à pátria e não ao governo.
8. Criar o ambiente em que os oficiais terão apenas a visão da expressão militar e não de todo o poder nacional.
9. Enfraquecer o «espírito combativo», de fundamental importância no confronto bélico.

 CONSIDERAÇÕES FINAIS
O pensamento de Gramsci está sendo aplicado de forma dissimulada e protegida pelas franquias da democracia, tornando difícil a sua identificação.
Conhecendo o pensamento de Gramsci, as técnicas para a sua aplicação e com uma análise paciente e detalhada da conjuntura nacional, chega a ser surpreendente a infiltração do marxismo-gramscismo na sociedade brasileira.
Encontrando Gramsci, a decisão sobre o quê e como fazer é do descobridor. (???)
Já é hora de deixarem de lutar por ideologias importadas, inadequadas às características do brasileiro, que atendem a interesses estrangeiros ao dificultarem o progresso do nosso país.

 ADESG - Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra
 Delegacia do Estado de Mato Grosso do Sul
 COR UNUN ET ANIMA UNA PRO BRASILIA
 UM SÓ CORAÇÃO E UMA SÓ ALMA PELO BRASIL
 NÚCLEO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS

 Enviado em 25 de agosto de 2014 às 10:36 hs. por
 Manoel Soriano Neto
 Coronel de Infantaria e Estado-Maior do glorioso Exército Brasileiro, Historiador Militar.
Para voltar ao home  da fonte do "Jornal da Paulista" clique aqui.